segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Grammy: disco de Zanna concorre em 3 categorias



Com repertório autoral, que reúne sambas, bossas e baladas, o disco de estreia da cantora Zanna é grata surpresa entre os finalistas da categoria Melhor Álbum de MPB da edição 2018 do Latin GRAMMY, cuja cerimônia de premiação acontece em Las Vegas (EUA) no dia 16 de novembro. A artista carioca disputa o gramofone dourado com os cantores Silva e Alexandre Pires, o músico português António Zambujo e o trio formado por Edu Lobo, Romero Lubambo e Mauro Senise. Além desta categoria, o álbum, lançado pelo selo da artista, está concorrendo nas categorias Engenharia de Gravação e Produtor do Ano, ambas com o brasileiro radicado em Los Angeles Moogie Canazio.

No Rio ou em Los Angeles, na gravação dos arranjos de base criados por Zanna e Moogie alternaram-se, entre outros, os músicos Jorge Helder (contrabaixo), Marcelo Costa (percussão), Rodrigo Sha (flauta e clarinete), Jorjão Barreto (piano e Fender Rhodes), Guto Wirtti (baixo), Iura Ranevski (violoncelo), André Vasconcelos (baixo) e Marlon Sette (trombone). Cinco canções ganharam arranjos de orquestra e regência de Eduardo Souto Neto (“Vento praia nordeste”, “Inverno”, “L’amore”, “Se” e “Esquecida”), enquanto o mestre Rildo Hora assina o arranjo e rege a orquestra do samba “Bonecos reis”.

Entre os destaques do disco estão faixas como “Vento praia nordeste”, “Se” (com participação nos vocais de Claudio Nucci), “Esquecida” e “L ‘amore” (esta, cantada em italiano). “Todas com a atmosfera de uma bossa-jazzy aconchegante”, como define o crítico musical Antonio Carlos Miguel. Há ainda sambas como “Bonecos reis” e o bolero pop Quintal e o pop “Babe”.




Nenhum comentário:

Postar um comentário