domingo, 26 de maio de 2019

1927 - Último dia de produção do Modelo T da Ford



Em 26 de maio de 1927, Henry Ford e seu filho Edsel conduziram o Modelo T número 15 milhões, da Ford, para fora de sua fábrica, marcando o famoso último dia de produção deste automóvel.

Mais que qualquer outro veículo, o relativamente acessível e eficiente Modelo T foi responsável por acelerar a inserção do carro na sociedade americana durante o primeiro quarto do século XX. Lançado em outubro de 1908, o Modelo T – também conhecido como “Tin Lizzie” – pesava 500 kg e tinha um motor de 20 cavalos de potência e 4 cilindradas. Rodava de 21 a 34 quilômetros por galão de gasolina e era capaz de andar a 72 km/h. Inicialmente vendido por 850 dólares (em torno de 20 mil dólares hoje), o Modelo T básico e sem adicionais seria vendido posteriormente por 260 dólares (em torno de 6.000 dólares hoje).

Em grande parte devido à sua popularidade incrível, o governo dos EUA fez da construção de novas estradas uma de suas maiores prioridades em 1920. Em 1926, no entanto, o Lizzie tinha se tornado defasado em um mercado em rápida expansão para automóveis baratos. Henry Ford esperava manter sua produção enquanto reequipava suas fábricas para lançar seu substituto, o Modelo A. Mas a falta de demanda o obrigou a cessar a produção do Lizzie. Em 25 de maio de 1927, ele anunciou ao mundo todo que estava descontinuando o Modelo T. Conforme registrado por Douglas Brinkley em “Wheels for the World”, sua biografia de Ford, o lendário construtor de carros elogiou sua criação mais memorável: “Ele era poderoso e resistente. Foi um carro que correu antes de haver boas estradas para correr. Ele quebrou as barreiras de distância em áreas rurais e aproximou as pessoas dessas regiões, deixando a educação ao alcance de todos”.

 Depois que a produção terminou oficialmente no dia seguinte, as fábricas da Ford fecharam no início de junho e 600 mil operários foram dispensados. A empresa vendeu menos de 500 mil carros em 1927, menos da metade das vendas da Chevrolet. O fato de o lançamento do Modelo A ter começado em cidades seletas que, no mês de dezembro, recebiam uma grande multidão, mostra a grande habilidade de Ford em criar sensações. Porém, nenhum carro na história teve o impacto – tanto real quanto mitológico – do Modelo T: autores como Ernest Hemingway, E.B. White e John Steinbeck mencionam o Tin Lizzie em seus livros, enquanto o grande cineasta Charlie Chaplin o imortalizou de forma satírica no seu filme de 1928, “O Circo”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário