sábado, 18 de maio de 2019

1980 - Ian Curtis, da Banda Joy Division, se suicida



Na noite de 18 de maio de 1980, Ian Curtis, vocalista e compositor da banda inglesa Joy Division, enforca-se na cozinha de sua residência, em Manchester. Ele tinha apenas 23 anos.

O Joy Division foi uma das quatro bandas mais importantes do pós-punk britânico, cujas origens estão ligadas ao show lendário dos Sex Pistols no Lesser Free Trade Hall em Manchester, em junho de 1976. Assim como os membros fundadores dos Buzzcocks, dos Smiths e do The Fall, os mancunianos Bernard Sumner e Peter Hook decidiram, imediatamente após o concerto, formar um grupo. E embora a filosofia do “Faça Você Mesmo” dos Sex Pistols tenha lhes dado a coragem de se autodenominarem uma banda sem nem mesmo conseguirem tocar direito seus instrumentos recém-comprados, eles se tornaram um dos primeiros grupos inspirados pelo punk a abandonar a sonoridade do punk. O passo crucial nesse sentido foi a escolha de Ian Curtis dentre os candidatos surgidos a partir do aviso “Procuramos Vocalista” que eles colocaram em uma loja de discos local. Curtis era mais aspirante à poeta que à rock star, e suas letras sombrias e expressivas iriam aos poucos afastar a sonoridade da banda da raiva e da violência do punk e aproximá-la de algo muito mais melancólico e econômico.

O estilo desenvolvido pelo Joy Division entre 1977 e 1979 incluiu a adição do sintetizador – uma violação absoluta à estética lo-fi do punk, mas foi uma escolha que marcou o início daquilo que viria a ser chamado de New Wave. O disco “Unknown Pleasures”, de 1979, o álbum seguinte, “Closer”, e o single “Love Will Tear Us Apart” transformaram o Joy Divison em um culto no Reino Unido, e a dança hipnotizante de Ian Curtis no palco em um símbolo do pós-punk.  

Embora ele tenha escondido sua doença de seus companheiros de banda até sofrer uma crise aguda na van da turnê após um show em Londres, em 1978, Ian era epiléptico. Algumas pessoas acreditam que a depressão por causa de sua doença ou os efeitos colaterais dos remédios que ele tomava levaram Ian ao suicídio. Mas há muitos outros fatores que podem ter desempenhado um papel importante nisso, como o uso de drogas e a tensão no seu casamento, provocada pelo seu romance com uma jornalista belga. Quaisquer sejam as razões, Ian Curtis tirou sua vida apenas dois dias antes do início de uma turnê nos EUA, que seria, potencialmente, uma guinada na carreira da banda. Dois meses depois do suicídio de Ian, em 18 de maio de 1980, os integrantes sobreviventes do Joy Division cumpriram uma promessa que fizeram para eles mesmos de mudar o nome do grupo e continuar, ao longo dos anos 80, como New Order.



Nenhum comentário:

Postar um comentário